sexta-feira, 16 de outubro de 2009

O Parto

Feto deformado dilacerado
Nasce do ventre pútrido e mal amado
Inútil e ridículo aglomerado de moléculas
Da nefasta mãe são as mitocôndrias de tuas células
Nasce sujo e imundo
De sangue insanamente rodeado
Do útero já foge causando dor
E passará a vida inteira tomado deste horror
Em tuas veias pulsa a nojenta corrupção
Contra a qual você não possui solução
És filho bastardo, progênie maldita
Cadáver que foge da verdade já dita
Criança grotesca e retorcida
Carregas em tuas mãos o futuro
E isso é o advento mais assustador
Pois tu regurgitas a podridão estagnada das entranhas
Tu liberas de sua rouca voz loucas aranhas
E entre as moscas necrófagas tu se emaranhas

Para acompanhar...
Marilyn Manson - The Fight Song

video

4 comentários:

  1. Você anda lendo Augustos dos Anjos, não anda não? rsrsrs...

    Muito bom cara!

    ResponderExcluir
  2. Andei me aventurando nos poemas do Augusto sim hehehe...
    Valeu pela presença!

    ResponderExcluir
  3. Muito bom Mario!

    Seu sanguinárioooo...
    bem massa

    ResponderExcluir